Coaching

Humanistic Coaching: analogia à experiência de mergulho

humanistic coaching

Quando mergulhamos em alto mar, há um misto de emoções que atravessam o corpo. Estamos expostos. Enfrentamos o desconhecido. Não há regras. Não se encontra sob jurisdição de nenhum estado.

No alto mar, vigora o princípio da “liberdade do alto mar”: são livres!

A experiência de ser Humanistic Professional Coach – IHCOS® nas organizações é ir ao alcance dessa profundidade, em alto mar, nesse escuro e misterioso lugar. É ajudar o outro a preparar-se para esse mergulho desafiante, a tomar as medidas necessárias à preservação da sua segurança.

Encontramos mergulhadores que arriscam neste alto mar, sabendo que têm de se superar.

É um risco, que estando lá o limite interior corresponde ao limite exterior das regras, procedimentos e formalidades da sociedade e das organizações.

Uns sabem o que querem e já levam os seus objetivos bem definidos e outros que anseiam, que procuram algo – algumas vezes sem saberem o “quê”! Não sabem, mas procuram.

O mergulhador leva todo o seu equipamento, é um coachee preparado para os desafios diários que as organizações exigem. Sabe o que tem de fazer, as suas tarefas, o cumprimento de KPI’s, mas falta o propósito… e algumas vezes esforça-se, fica mesmo muito cansado do “nada”, do mar profundo, escuro, cheio de possibilidades, oportunidades infinitas para explorar e sem rumo.

Há algo comum em todos os mergulhadores, são as pessoas, os indivíduos únicos que anseiam por ser (mais) felizes.

Nélia de Jesus Vicente
Humanistic Professional Coach – IHCOS®

Artigo publicado nas redes sociais IHCOS:
https://www.facebook.com/IHCOS.org
https://twitter.com/IhcosOrg