O papel das histórias nas organizações

Hoje tivemos à (Des) conversa com a Ana Rita Ramos e falámos de história e da importância de criar memória. Procurámos nestes, 33 minutos, perceber o papel das histórias e qual a sua importância para as pessoas e organizações.

Tal como uma pessoa, uma organização tem a sua história e por isso tem infância- é preciso recordar esses tempos. Há dores e alegrias e é fundamental recordá-los para ajudar a dar poder à organização e aumentar a sua reputação. Estes são alguns dos drives pelos quais qualquer organização deve criar memória. Para qualquer empresa (ou pessoa) é estratégico saber a sua história e para isso é preciso procurar memórias junto dos diferentes stakeholders da empresa.

Para criar memória empresarial é importante decidir como se quer construir e contar a história, porquê contar, porquê o momento em que se quer construir e que outputs se pretende com a história.

Ficámos conscientes que a construção da história é apenas o 1ª passo e que dar testemunho dessa história deve ser o passo final: “As histórias só valem a pena se forem partilhadas”. A importância do legado é fundamental uma vez que sem memória não existimos”.

Terminámos com o conselho da Ana Rita Ramos para a próxima geração que é “Manter o planeta igual ou melhor do que o recebeu.”

E soubemos que a sua missão para o Mundo é “ter impacto positivo nos outros”.

Paulo Cópio e Ana Borges

Deixe um comentário

Partilhe este artigo:

Share on linkedin
Share on facebook
Share on whatsapp

Big Experience

Queremos surpreender em cada ação. Focados no desenvolvimento das aprendizagens e vivências das pessoas ao nível individual, grupal e organizacional.

Acompanhe-nos no LinkedIn:

Artigos Recentes

Leitura Recomendada

Subscrever a nossa Newsletter

Ao subscrever está a aceitar a nossa politica de privacidade. Pode remover-se a qualquer altura.